• Igor Eduardo

Proteção com as Valquírias


Jovens, bonitas, altas, fortes e guerreiras, as Valquírias são conhecidas por serem auxiliares de Odin, servindo comida e bebida ao deus e também aos guerreiros mortos em batalha, que compunham a guarda pessoal de Odin e também auxiliavam Freyja, pois segundo o mito a deusa havia feito um acordo com Odin: lhe ensinaria magia e em troca ele concederia metade das almas dos guerreiros mortos em batalha. Além de cuidar dos feridos, eram responsáveis por levar as almas até Valhala e supervisionavam as guerras travadas em Midgard, protegendo seus homens preferidos. Mas as Valquírias não só levavam os mortos, antes elas já escolhiam quem iria ganhar ou perder. Não pense que por serem assistentes de Odin era ele quem dava a última palavra, mitos recentes chegam até relatar punições para Valquírias rebeldes. Há casos em que Odin pede para que elas encaminhem um espírito ao seu salão e elas simplesmente recusam. Um exemplo bem conhecido é o da Valquíria Brynhild, que descumpriu as ordens de Odin dando a vitória de uma batalha ao rei Sigurd, ao invés de mata-lo. Odin furioso prende a Valquíria em uma muralha de fogo, até que Sigurd a resgata em seu cavalo mágico. Dotadas também com o dom da profecia e da magia, quando escolhiam um mortal como favorito, elas o protegiam até o fim da vida e lhe ensinava as artes mágicas e lhes revelava alguns perigos e avisos por meio de sonhos ou visões. Crenças mais antigas também dizem que elas são protetoras familiares, protegendo todos os descendentes da família escolhida. Aquele que soubesse o nome de uma delas poderia sempre chamá-la para proteger ou ensinar. Seus nomes tinham haver com seus dons e aptidões, por exemplo Hrist que significa terremoto, e Mist, que significa névoa. Acreditam que a aurora boreal era um evento causado pela cavalgada das Valquírias no céu, com seus corcéis flamejantes, vestindo armaduras, escudos, espadas, arco e flechas. Lendas anglo-saxônicas relatam aparições de figuras femininas sobrenaturais do meio da neblina auxiliando os guerreiros em combate. As Valquírias podem ser evocadas para proteger em situações de perigo, vencer medos ou então auxiliar o contato com seus mentores espirituais. Suas cores são o branco, o prateado e a fruta-cor. As pedras associadas às Guerreiras é a opala e a safira, e suas runas de correspondência são Algiz, As, Calc e Ziu. Dica de Ritual: Itens: -01 Vela Branca -01 copo de hidromel ou cerveja Como fazer: Prepare um ambiente tranquilo e verifique se há isqueiro e um pires para apoiar a vela. Sente-se confortavelmente e respire profundamente pelo nariz, soltando o ar pela boca lentamente por três vezes. Visualize um círculo de luz branca formando-se ao seu redor no sentido horário, te mantendo protegida (o), segura (o) e guardada (o). Agora conecte-se com os cinco elementos presentes em seu ser: a água que compõe 70% de nosso corpo. Sinta a firmeza dos ossos que lembra as rochas, conectando ao elemento terra. Perceba as ondas de calor que são geradas pela energia que percorre todo o seu ser, te conectando ao elemento fogo. Agora concentre-se um pouco mais em sua respiração, no elemento Ar que entra purificando as toxinas de seu organismo. E por fim sinta a sua presença, o agora e o aqui, e se conecte ao Espírito, que é percebido de forma sutil. Abra os olhos lentamente e desenhe a rua Algiz - ᛉ- na vela, com a unha mesmo ou então use um palito. Feito o símbolo acenda a vela, coloque fixada no pires, e aqui atenção, na bruxaria não deitamos a vela para respingar a cera, ao invés disso derreta um pouco a base e fixe no pratinho. Feche os olhos novamente e visualize uma luz prateada descendo do céu, formando um outro círculo ao seu redor. Agora com suas palavras peça às Valquírias que ergam muros de proteção ao seu redor, que impedem energias nocivas, de ataques energéticos e de baixa vibração penetrarem em seu campo astral. Visualize escudos erguendo-se ao redor, do meio do círculo prateado, sem deixar nenhuma brecha. Mantenha essa visualização por no mínimo 05 minutos. Vá voltando devagar, mexendo os dedos dos pés, das mãos e abrindo os olhos suavemente. Agora segure o hidromel ou a cerveja, erga mais ou menos em direção a sua cabeça e ofereça as Valquírias que a partir de então estão te protegendo. Deixe a bebida ao lado da vela que deverá queimar até o fim. Feche os olhos novamente, coloque as mãos em posição de oração frente ao peito, agradeça aos cinco elementos presentes no círculo, às divindades que vieram ao seu favor e se despeça visualizando a luz branca se desfazendo no sentido anti-horário. Descarte o que sobrar da vela após a queima e a bebida na natureza. Conte-nos como foi a experiência! Bom ritu!

Igor Gabriel @omagomistico

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo